terça-feira, 14 de novembro de 2017

14 de Novembro - Dia Mundial da Diabetes - Orientação para a prática de actividade física - Os benefícios


(crónica de Tânia Santo)

14 Novembro – Dia Mundial da Diabetes: Orientação para a prática de actividade física – Os benefícios

Comemora-se hoje o Dia Mundial da Diabetes, 14 de Novembro, a diabetes é uma das doenças metabólica e está associada à produção e acção da insulina, que se traduz num excesso da glucose (açúcar) no sangue.


A Diabetes Tipo II é, sem dúvida, o tipo mais comum de Diabetes. É causada por um desequilíbrio no metabolismo da insulina. Tem como principais factores de risco a obesidade, o sedentarismo e a predisposição genética. 

Na Diabetes Tipo II existe um défice de insulina e resistência à insulina, significa isto que, é necessária uma maior quantidade de insulina para a mesma quantidade de glicose no sangue. Por isso as pessoas com maior resistência à insulina podem, numa fase inicial, apresentar valores mais elevados de insulina e valores de glicose normais. À medida que o tempo passa, o organismo vai tendo maior dificuldade em compensar este desequilíbrio e os níveis de glicose sobem. (fonte: http://www.apdp.pt)

Embora tenha uma forte componente hereditária, este tipo de Diabetes pode ser prevenido controlando os factores de risco modificáveis (sedentarismo, alimentação).


Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) estão mais que comprovados os benefícios da prática regular de actividade física (AF) na nossa saúde, nomeadamente:

Redução do risco de doença cardiovascular;
Prevenção e/ou atraso no desenvolvimento de hipertensão arterial, e maior controlo da tensão arterial em indivíduos que sofrem de tensão arterial elevada;
Bom funcionamento cardiopulmonar;
Controlo das funções metabólicas e baixa incidência da diabetes tipo 2;
Maior consumo de gorduras, o que pode ajudar a controlar o peso e diminuir o risco de obesidade;
Diminuição do risco de incidência de alguns tipos de cancro, nomeadamente dos cancros da mama, da próstata e do cólon;
Maior mineralização dos ossos em idades jovens, contribuindo para a prevenção da osteoporose e de fracturas em idades mais avançadas;
Melhor digestão e regulação do trânsito intestinal;
Manutenção e melhoria da força e da resistência musculares, o que resulta numa melhoria da capacidade funcional para levar a cabo as actividades do dia-a-dia;
Manutenção das funções motoras, incluindo a força e o equilíbrio;
Manutenção das funções cognitivas, e diminuição do risco de depressão e demência;
Diminuição dos níveis de stress e melhoria da qualidade do sono;
Melhoria da auto-imagem e da auto-estima, e aumento do entusiasmo e optimismo;
Diminuição do absentismo laboral (baixas por doença);
Em adultos de idade mais avançada, menos risco de queda e prevenção, ou retardamento de doenças crónicas associadas ao envelhecimento. 

A OMS recomenda para a manutenção da saúde em adultos e adultos mais velhos é de 150 minutos de AF de intensidade moderada ou 75 minutos de AF de intensidade vigorosa por semana e 2 a 3 dias de exercícios de força e equilíbrio. Para benefícios adicionais da saúde como por exemplo o controle de peso e alterações de factores de risco a recomendação para os adultos e os adultos mais velhos é de 300 minutos de AF de intensidade moderada ou 150 minutos de AF de intensidade vigorosa por semana e 2 a 3 dias de exercícios de força e equilíbrio.

As crianças e os jovens participam em diversos tipos de actividade física, por exemplo ao participar em jogos e em diversas actividades desportivas. No entanto, os seus hábitos diários têm vindo a ser alterados devido a novos padrões de entretenimento (TV, Internet, jogos de vídeo, tablet, redes socias…), e esta mudança tem coincidido com taxas crescentes de excesso de peso e de obesidade infantil.

As oportunidades para se ser fisicamente activo tendem a diminuir à medida que nos tornamos adultos, e as mudanças nos estilos de vida contribuíram para este fenómeno. Por exemplo a diminuição assinalável na quantidade de esforço físico necessário às tarefas diárias, para nos deslocarmos de um ponto a outro (automóvel, autocarro) e até mesmo para chegar junto das actividades de entretenimento (incluindo as que compreendem uma componente de actividade física). De acordo com os dados disponíveis, entre 40% e 60% da população da UE tem um estilo de vida sedentário. (fonte: Orientações da União Europeia para a Actividade Física).

Em Portugal segundo a avaliação do Eurobarómetro partir de 2014, 9% dos adultos em Portugal relataram que participar em AF de intensidade vigorosa em pelo menos 4 dias nos últimos 7, com 23% daqueles que fazem isso por menos de 30 minutos, 40% entre 31 e 60 minutos e 23% entre 91 e 120 minutos por dia. Além disso, 14% dos adultos revelam participar em AF de intensidade moderada pelo menos 4 dias nos últimos 7, com 34% daqueles que fazem isso por menos de 30 minutos, 43% entre 31 e 60 minutos e 15% entre 91 e 120 minutos por dia.

Em Portugal os dados da OMS Global Health Observatório (GHO) mostram que 62,7% dos adultos (com mais de 18 anos) cumprem a actividade física recomendada pela OMS, sendo os homens mais activos (66,5%) do que as mulheres (59,2%). (Fonte: Portugal physical activity factsheet – OMS 2015).


No seu dia-a-dia seja activo, use as escadas, desloque-se sempre que possível caminhando.

Tânia Santo
Fisioterapeuta URAP Médio Tejo

Sem comentários:

Enviar um comentário